terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Meu São Felipe do Karaíba


Para quem não ouviu ainda sobre esse santo, vou apresentar: São Felipe é o meu neto mais novo. E vive no Jardim Karaíba, em Uberlândia, Minas Gerais.

Sim, pelo entendimento bíblico neo-testamentário, o figurinha de apenas 3 anos, é santo. Não que seja infalível, lógico, mas é alguém que pode descansar na graça divina e na sua inocente (única) possibilidade de vida que é o estar num lar cristão, vivendo já debaixo da fé e prática de uma família que crê em Cristo.

Pois bem, ironias à parte, o meu rapazote, é um ás em conjugar quase todo dia, diante de uma vontade expressa, manifesta - e não satisfeita - com um "Mas eu quero!". Não adianta explicar, não adianta dialogar, o sujeitinho bate o pé e afirma: "...Mas eu quero!"

Fosse ele esses santinhos de devoção e andor, seria com certeza, o padroeiro de uma classe de gente que dizendo-se cristã, tem de tudo, menos uma alma confiante na sabedoria, na providência e cuidado do Senhor supremo e regulador das nossas vidas.

Esses, que confundem fé com obsessão - aquele desejo que, de tão ardente, não permite outra possibilidade para além da sua satisfação. E imediata. Sem esperas.

E dá-lhe ofertas, oferendas, promessas, jejuns sacrificiais, dando mesmo pra se ouvir o bordão: "Mas eu quero!". E pronto. Ai se nós - ou Deus, ou os céus, ou a vida, não os satisfizerem.

Gente que confessa uma fé por fora e ergue um altar pra sua alma não tratada por dentro.

Diante das lutas (coisa comum a qualquer mortal), grita logo - "Não aceito", ou "Rejeito isso, rejeito aquilo", ou pior ainda, grita mandingas e outras esquisitices tornadas moda em certos círculos cristãos, dando ordens, imagine - a Deus, o Todo Poderoso, o Supremo regulador do Universo. Já até há teologias pra justificar a sandice. Nelas, o homem é nada mais que uma criança mimada a quem Deus tem de Se dobrar e a vida é um mero script feito, pronto e acabado onde tudo gira à volta e tem-se de amoldar. O plano está feito e acabado.

Cresci, como o Felipinho, até que aprendi com os meus pais, a sempre terminar as minhas orações com um "Seja feita a Tua vontade". Mais tarde, achando progredir, pensei ser possível manipular e fazer o Senhor, virar um mero serviçal das minhas idéias e desejos. Ser cristão era ser arrojado, ter fé era ser obstinado... ser cabeça e não cauda, estar-se por cima e não sujeito à vida.

Idiotices. Depois de muitos tombos, lutas e de conhecer mais desse Senhor o das Escrituras, "que tira do seu bom tesouro somente coisas boas (ainda que algumas difíceis de engulir!), acabei por render-me e, acatando a sugestão paulina de "dar graças em tudo", buscar descansar no fato de Deus saber, não apenas mais que eu, mas saber tudo e me amar de verdade, e embalar as minhas orações com o... "Faça-se a Tua vontade". Não é fácil, mas é o recomendável. E Deus tem-me provado isso.

Nada se compara à Sua sabedoria (que os homens, na sua lógica e coerência, chamam loucura). Nada é mais seguro, ainda que, em algum momento, signifique desconforto e transtorno, que os Seus caminhos.

O meu São Felipinho continua na sua inocência e teimosia própria de menino, guardado, além de Deus, por todos nós que o amamos e o protegemos.

Os que, apesar de grandinhos, ainda continuam na sua obstinada auto-proteção egoísta, podem acabar como o tal povo no deserto (Salmos 106:12-15) que bateu o pé e recebeu, mas ganhou no final, só o amargor de alma, próprio de uma criança castigada, não por sua inocência, mas pela rebeldia.

Quem estribado no seu próprio entendimento, não abre mão da sua vontade diante da possibilidade de Deus o contrariar, pode acabar recebendo o que pediu. E pagar caro por isso.

"Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes." (Tg 4:6)

Para quem quer se aventurar a fazer ao "santo" uma imagem, tá ai em cima (lindinho tal como o avô!).

3 comentários:

Alice disse...

Ooooo coisinha mais lindinha do vovô !!...e haja amor pra amar esses amáveis presentinhos que Deus nos dá !

bjooooo

Rebeca Pirola disse...

Que máximo o texto!!! E aqui vamos nós! Com "mais eu quero", um atras do outro rsrsrs

Juliano Fabricio Ferreira disse...

Muito legal Rubinho. Tenho começado a ter essa experiencia com minha primeira filha.

OBS: tenho colocado alguns cartoon's no meu blog. Tem algum problema....?????

www.julianofabricio.com

fica na paz.