segunda-feira, 29 de março de 2010

Eu ainda creio no homem...

Eu ainda não perdi a fé no ser humano.
Não nele, em si mesmo, porque não seria louco para tanto, mas pelo que Deus pode fazer nele e através dele.

Assim, eu ainda creio até mesmo nos cristãos, a despeito do que têm virado, tentando viver a vida, não alicerçados nos valores do Evangelho, mas nas loucuras perversas do nosso século.

Creio ainda na igreja, por extensão (não a organização, a estrutura,... mas na comunhão dos que crêem na cruz) ainda que vez por outra, essa caia na tentação e deixa de chorar a dor do pobre e do necessitado e assim, deixa de ser ovelha e passa a ser o lobo, como diria o meu amigo Caio.

Creio nela, mesmo que também ceda à tentação de oferecer ao mundo o mais perverso dos hospitais onde o doente não pode compartilhar as suas maleitas (como afirmou o Ari) e que, antes de chorar com os que choram, oferece-lhes o seu juízo e, por isso, não cure mais. A essa igreja que ora pela cura dos enfermos, por milagres e pelo que é extraordinário, mas não por amor do que sofre, mas para se ver livre de trabalho e aborrecimento.

Creio ainda nos pastores e líderes todos (meus colegas) que têm-se vendido, pregando e dizendo coisas que Cristo nunca pregou ou ensinou e, ao invés de dar a sua vida pelas ovelhas, comem da sua gordura, vestem-se com a sua lã e, com ela, constroem palácios e impérios em honra deles próprios.

Creio ainda nos políticos bandidos que vendem o moral da nação, nos juízes que ajuízam para o seu próprio bem, vendendo o direito e nos trabalhadores que, ao invés de servirem, querem e vivem só pelo salário que ganham.

Creio ainda no que Deus pode fazer neles e através deles, porque o poder de Deus, aquele que levantou Jesus da morte, ainda está ai, a agir e a transformar gente imprestável, pessoas inúteis, combustíveis do inferno, em instrumentos de justiça e promotores do amor celeste.

Se Ele não poupou o Seu próprio filho, como parte do projeto de criar novos céus, nova terra, como Deus não poderia ainda transformar ainda hoje a criatura?

Justamente, por esse motivo, não comemorei, pelo contrário, a condenação dos Nardoni, como também não comemorei o assassinato covarde daquela pobre menina. Definitivamente, não consigo fazer como enrredo de novela, onde o ruim, o perverso, nasce e morre assim, sem chance de outro script. Olhando para a minha própria história, não dá.

Creio ainda no que Deus pode fazer no mortal, pois hoje o dia todo, pensei em como Deus tem agido na minha vida - a despeito de tudo aquilo que sou - e em como, Ele ainda não acabou comigo.

Por essas coisas, o que mais tenho me recusado a fazer, é ver as pessoas como elas são - só homens - e visto o que pode o Alto, agindo neles.

Como aliás foi com o adúltero e irresponsável pai de família Davi, o religioso assassino Paulo, ao vacilante Pedro e tantos outros...

Continuo a amar o errado, mas a odiar o erro.
A amar o profeta, mas julgando a profecia, com rigor e cuidado. Sem medo. E sem querer destruí-lo, porque ainda creio naquilo tudo que Deus pode fazer em cada um de nós.

"Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo. Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo." 2 Co 5:16,17

6 comentários:

Hermes C. Fernandes disse...

Meu amigo Rubinho, que texto inspirado! Faço coro com você. Também ainda me atrevo a crer na recuperação do ser humano, e por conseguinte, da humanidade inteira. Deus não perdeu esta batalha.

Novo céu e nova terra já se insinuam ante os olhos daqueles que teimam em crer no impossível.

Seu texto alegrou meu dia e, certamente, me provocará a reflexões posteriores.

Forte abraço.

Rubinho Pirola disse...

Meu amigo Hermes!

Estava agora mesmo lendo o seu excelente "O que Deus nos fala através do Outono". Que afinal, mostra o "como"Deus age e "para que" nessa transformação operada pelo Espírito em nós. Abençoou-me imenso, cara... Obrigado pelo serviço da sua vida, amigão. Um abração nosso de cá da terrinha.
Deus vai completar a Sua vongtade em nós, mano, pode crer!!!

Gustavo Vieira disse...

Querido Rubinho, este fim de semana tivemos nosso retiro "Gilgal" aqui em Goiânia e foi isso mesmo: Deus fazendo coisas que me deixaram de cara... Gente se abrindo e mudando de mente, deixando para tráz uma forma de pensar egoísta e consumista.

Por outro lado, pude ver como tem gente sofrendo bem ao nosso lado, simplesmente porque não olhamos direito pra elas.

Faço aqui a "mea culpa".

Tomei gosto pelo blog!

Grande abraço!

Gustavo (da Vivi)

Carol Sugahara disse...

Rubinho,
Primeiro fiquei mto feliz por vc seguir meu recém nascido blog...
Eu gosto mto de procurar amadurecimento através de bllogs abençoados e abençoadores. Assim como no nosso dia-a-dia, podemos ter acesso à tudo, mas será que devemos? Tudo é lícito, mas nem tudo convém... e é isso, pq apesar de tantos "por quês", creio tb no ser humano. Minha mãe repetia uma frase engraçada. "O ser humano é complicado!"... mas somos humanos, então tb somos complicados!!!
Mas msm sendo complicados, o mais importante é o amor de Deus, pq com tantas heresias q a raça humana comete, Deus crê nessa msm raça, cura, liberta, salva, ama...
Temos fé em Deus, mas além de tudo Ele tb têm fé em nós... e nos ama!

Paulinha disse...

Quando entrei nessa site e vi os desenhos eu pensei "conheço esses desenhos..." Eu sabia que eram seus... Beijo e sucesso!
Paulinha batera

Dra. Costa disse...

Tampouco descreio do homem. Porque ainda leio textos como esse; que fazem minha alma cantar de esperança. Amplexo e obrigada.