quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Questionamentozinho sincero sobre a justiça de Deus


Tenho ultimamente uma séria dúvida: porque é que não entramos em crise, porque não perdemos noites de sono, porque não procuramos os pastores para reclamar quando Deus nos abençoa?

Sim, é isso mesmo, quando somos abençoados com essas bênçãos boas, agradáveis e lindas de se ver (e pegar!).

Eu francamente, nunca vi alguém fazer isso. Nem tenho, por regra, essa crise - quando sou apanhado por uma tremenda surpresa boa (leia-se agradável), recebendo um baita presente, sendo visitado por alguém especial, quando sou honrado, quando recebo alguma glória,... eu nunca procuro algum irmão, ou ao pastor da minha igreja para colocar a justiça de Deus em cheque porque, sendo eu mau, sendo eu um pecador dos grandes, cheio de coisas ruins, apesar de eu ter lutas no meu íntimo que sequer ouso por para fora, Deus traz do seu bom tesouro coisas que me agradam.

Imaginem, alguém vir até a frente da igreja e dizer: Irmãos, orem por mim, há algo errado com Deus, pois recebi uma tremenda bênção e eu não a mereço de jeito algum.

Onde estava Deus quando fui agraciado? Eu não mereço nada Dele... há alguma coisa que não está bem - podem orar por mim?

Estamos respirando, comendo, vivendo em meio aos nossos amados, não sendo ninguém mais do que os mais pobres e miseráveis do planeta, os excluídos, os perseguidos, os abandonados... mas Ele ainda continua a nos amar e a nos dar coisas boas...

As nossas ofertas são sempre pelo mínimo, as nossas obras são sempre maculadas por uma ou outra intenção e Ele continua como que a olhar pro outro lado...

Mesmo quando fazemos algo que as pessoas julgam fantásticas, somente porque Dele nos veio a inspiração e usamos o que na verdade, Ele já nos deu... não vamos para casa chateados porque puseram toda a glória em nós.

É... a coisa é sempre o contrário...

Vai entender a nossa pobre alma humana, não é mesmo?

5 comentários:

CARLA FABIANE... disse...

♥ “Que eu sustente a Luz e o brilho no olhar, mesmo sabendo que muitas coisas que vejo no mundo, escurecem meus olhos!” ♥
( Chico Xavier )

Daniel Peccini Correa disse...

Alo Rubinho

legal teu blog. Também sou italo-brasiliano e moro em Milano, Italia.

Sobre o artigo, me levou a pensar na motivaçao para fazer as coisas.

Se nao for unicamente por amor, nao terà valor algum.

abraço

Daniel

Ricardo Mamedes disse...

Olá Rubinho,

Ainda ontem eu estava conversando com amigos queridos calvinistas - com os quais venho aprendendo demais - discutindo um artigo deles sobre predestinação (5calvinistas.blogspot.com). E nós concordamos que o calvinismo é muito mais do que predestinação somente. Tem a ver, precipuamente, com a plena soberania de Deus em nossas vidas, pois Ele é aquEle que governa as nossas ações como bem lhe aprouver.

Nessa linha, foi impossível não citar Romanos 9, quando o texto comentado tratava do infra ou supralapsarianismo.

É maravilhoso aceitar que Deus de fato "governa todas as nossas ações", é soberano, bondoso e justo. E, melhor de tudo, salva todos os seus eleitos através de um projeto que foi urdido desde antes da "fundação do mundo" (e sem que tenhamos qualquer mérito).

Só o fato de estarmos aqui junto a amigos, esposa, filhos e família em geral, gozando de boa saúde, já é uma dádiva. No entanto, nos esquecemos de agradecer a Ele, o autor de tudo isso...

NEle.

Ricardo

CUIDADORES DE ENFERMOS disse...

Sabe Rubinho que é a mais pura verdade, se do céu viesse a reveleçao de que se fosse por merecimento eu mereceria tudo o que há de ruim no mundo, mas esse Deus que não é nada normal( pelo menos na visão humana) me tão boas dádivas, quantas razões tenho pra lhe ser grata,

Miriam disse...

Somos uns filhos muito mal agradecidos é verdade. Queixamo-nos de tudo, quando temos o Pai mais generoso e rico! Deviamos ser o povo mais feliz da terra, no entanto escolhemos muitas vezes ser os"coitadinhos"... Deus nos ajude a olhar para o alto, a não perder o alvo e a ser gratos todos os dias!