quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Sobre os sacrifícios


"Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça." Rm 4:3

Muita gente imagina que Abraão creu tanto, tinha tanta confiança em Deus, que sabia que, no final da história, não precisaria entregar o filho que amava em sacrifício.

Não é isso o que podemos ver na narrativa de Gênesis. O cara engoliu seco, imagino eu, que matou o filho vezes sem conta nos três dias em que se dirigiu a Moriá. A cada passo, o filme devia correr pela sua mente... e o sangue a gelar nas veias.

Deu tempo para se assustar, apavorar, ser tentado a dar meia volta, discutir, argumentar com Deus, ...fazer cambalachos do tipo que fazemos quando Deus nos pede algo que nos é precioso: deixa por menos, Senhor! Eu faço outra coisa, duas, mil coisas...

Mas abraão foi. Até ao fim. De um "Eis-me aqui Senhor!", quando recebeu a ordem, a um "Eis-me aqui, Senhor!" quando tinha o filho já imobilizado (não uma criança, mas um adolescente feito) sobre o altar.

Como fazemos as vezes todas em que a direção de Deus não caminha no sentido das nossas conveniências, tenho sempre a tendência de me lembrar de Abraão depois da tragédia toda, quando Deus troca o filho querido por um animal para o holocausto.

Mas a história não foi assim...

Acho que o segredo todo, não está no fato de Deus nos livrar na hora "h", mas no conhecimento que se pode ter do Seu amor que, de um jeito ou de outro, há de nos amparar no cumprimento da Sua vontade.

Tenho repetido isso à minha alma nesses últimos dias todos!

3 comentários:

Alice disse...

Rubinho... até parece que vc sabe o que tenho vivido.

OLha, se tem alguém que conheçe o caminho da subida do Moriá, esse alguém sou eu... Deus vem me pedindo e eu vou subindo ... cada dia tenho repetir esse caminho e cada dia tenho que entregar mais alguma coisa... bem, nem sempre aparece o tal cordeirinho atrás dos arbustos e eu tenho mesmo é que "passar" o cutelo no pescoço.
Não tem sido fácil não, mas sei que um dia farei como Abraão, e descerei o Moria com um cantico novo em meus lábios, e tenho pensado sinceramente em descer rolando o Moriá....e parar só nos braços de Deus.

Super beijo par vc e pra Betânia.... direto de Ubatuba para a terrinha de Cabral !

Rubinho Pirola disse...

Oi Alice, amiga!

É isso mesmo. Tem crente que vive fazendo tudo que é maracutaia e enchendo o coração de falsas esperanças pra ver se livra dos Moriás, creditando todos eles ao chifrudo e não a um plano glorioso de Deus pra nos abençoar.
Por cá a coisa não tem sido fácil, mas continuamos a olhar pra frente, para o alvo da soberana vocação. Que você fique firme, meu anjo. E não caia em conto de sereias, mesmo que essas estejam nos nossos púlpitos.
Ah! Esperamos muito conhecê-la e os seus, quando estivermos ai, viu? E não por vocês morarem em cidade turística, hahahahah!
Um beijão!

Michelle Ramos disse...

O mais importante é saber que apesar das dificuldades o Senhor esta sempre conosco, e que no final sempre terá o melhor para nós, quando colocamos nosso coração no altar dele, bela mensagem novamente! Ainda mais ilustrada de novo! ;)