quarta-feira, 29 de outubro de 2008

A maravilhosa teologia do "AINDA QUE..."


"Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que o fruto da oliveira falhe, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação." Hb 3: 17,18

Para quem ainda acha estranho investirmos tanto aqui na Europa, uma consideração hoje, nos momentos em que estou me preparando para estar em Madrid na Sexta feira.
Estou indo para uma celebração significativa, prévia do que teremos cá em Lisboa no fim de semana seguinte e que mostra a luta que travamos constantemente por essa bandas. Trata-se do encerramento de 5 anos de programas que, lá e cá, temos transmitido todos os dias em rádios comerciais, seculares pelo país - e a peso de ouro, diga-se de passagem!
Nesse período todo, apresentámos a Palavra de Deus, do Génesis ao Apocalipse a toda a nação (Portugal e, lá, Espanha). A importância do facto, reside no pioneirismo da coisa, em que transmitimos - o mais que pudemos, as escrituras, sem determo-nos em doutrinazinhas, menores, que nos dividem e, sem qualquer chance à promoção de nenhum "cromo" (ou figurinha, ai no Brasil!), ou de denominação, igreja, nem tampouco pedimos donativo algum ou vendemos algo, alguma relíquia (dessas "milagrosas", que o povo religioso tanto gosta e capazes da proeza de fazer engordar a conta de algum bandoleiro religioso!).
Mas voltando à Europa e o facto de muitos ainda não crerem nas particulares características dessa terra necessitada da graça de Deus, esssa nossa viagem à capital espanhola tem para nós um gosto especial: Vamos homenagear o amado irmão e companheiro do Caminho, Virgílio Vangioni, um ítalo-argentino que vive há anos no país vizinho a servir ao Evangelho até agora.
Durante esses anos todos, vimo-lo abnegadamente traduzir, contextualizar e a dar voz ao programa que lá se chama "La Fuente de La Vida" e está em mais de 100 estações de FM, sem uma interrupção até agora.
Na foto que faço questão de trazer hoje, vemo-lo - "apesar da figueira não estar a florescer e do curral estar sem gado" e de um câncer que tomou o seu - imaginem - esôfago - a produzir os textos do programa, no seu computador portátil e a se submeter à quimioterapia que se mostrou completamente inútil.
Forte, não? Chamaria antes, a isso, "graça", sustento de Deus e,... firmeza de um homem que "a despeito de", permanece firme, a completar o seu ministério com o seu último fôlego de vida.
A minha oração é dupla nesse fim de semana - a primeira, para que Deus permita que ainda o tenhamos lá, vivo e que possamos nós dar-lhe um beijo e honrá-lo pela fidelidade - enquanto pode recebê-lo.
A outra, é que o seu exemplo, digno, honrado, possa falar muito a todos nós, indignados por tantos maus exemplos à volta e, sendo sinceros, ao nosso coração vacilante e inconstante quando as coisas não correm assim tão bem quanto desejávamos.
Que Deus nos guarde a todos. E que sejamos fiéis. Sempre. Haja o que houver.

2 comentários:

Lara Gisela disse...

Falar é fácil mas temos de olhar para exemplos como os de este homem.
Boa viagem Rubinho.
Bjs
Lara

_SunFlower_ disse...

O som do livro é um programa espectacular, feito por pessoas espectaculares (como o exemplo dado) e com a benção tremenda de Deus.
Que Deus abençoe ricamente o dias do Virgílio.

Boa viagem Rubinho!