quarta-feira, 3 de setembro de 2008

A Maldição da Fita Métrica


"Não atentando nós nas coisas que se vêem,
mas nas que se não vêem;..." 2 Co 4:18
Pela vestimenta, pelo corte de cabelo (ou tamanho deles), pela linguagem,... será que dá para identificar alguém, somente olhando pela "casca", para o exterior? Não é assim que nos queremos reconhecer, pelo que se vê por fora? Se alguém é do bem ou do "mal"... Se alguém é digno de confiança, de merecer o nosso investimento, se esse ser "é" ou somente "possui"?

Essa seleção que teimamos em fazer, com base no que chamo "A Maldição da Fita Métrica", que nos faz medir a todos e cada um que por nós, cruza o caminho, tal como fez o fariseu é fogo e bastante "normal". Na casa do religioso, conta-nos a Bíblia, ele olhou, mediu a pobre mulher, pecadora, que lavava os pés do Senhor com um vaso de alabastro e ungüento ...e a condenou. Mandou-a para os infernos, antes da sua hora.

Meu Deus... com quantos terei eu, ao longo da vida, deixado de aprender, de me enamorar, deixado também de abençoar e servir, simplesmente porque esses "alguéns" não pareceram-me "bem alinhados"!!!

Apesar de os meus olhos sempre me trairem, levo sempre uma "descompostura" da vida (ou, do Pai) por julgar pelas aparências... Deve ser por isso que nunca gostei de comprar melancias...

Este cartoonzinho ai vai como resultado da minha meditação de hoje (para visualizá-lo melhor, clique sobre ele!).