quarta-feira, 16 de abril de 2008


"Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão? E o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? Ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e a vossa alma se deleite com a gordura." Is 55.2

"E não vos conformeis com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus." Rm 12.2

Olhando para nós mesmos, acabo por imaginar que o grande problema que nos aflige hoje, é a tremenda confusão que fazemos entre o BOM e o que é apenas AGRADÁVEL. O que é bom em si mesmo, benéfico, justo, legítimo e, mais do que isso, acima de qualquer intenção que nos prejudique ou aos outros, em contraposição ao que – parecendo-nos BOM – venha apenas na direção das nossas conveniências e prazer.Uma injeção é boa ou agradável? Um remédio só porque é amargo é ruim, ou só desagradável? E porque o é, pode ser considerado RUIM, ou MAU?Olhando para os cristãos, vê-se claramente que essa questão vem nos perseguindo há muito e causando até uma desconfiança no Deus que prometeu nos amar e cuidar de nós. Nesse sentido, tudo aquilo que se parece com algo desagradável, é logo creditado ao cão, ao tinhoso, ao capeta, ao coisa-ruim, ao diabo, inimigo das nossas almas. Se é gostoso, vai dar-nos prazer, então, lógico, vai ser bom. E provavelmente, veio de Deus. Ou até, em alguns casos, imaginamos – pode ser algo que não se sabe porque, Deus, num dia de muito mau humor, resolveu classificar como pecado, ainda que seja algo gostoso, ou bom, na nossa confusão de definição entre coisa e outra.O que precisamos de uma vez por todas, crer que o que é BOM, não vem de outro, de nenhuma outra fonte, a não ser de Deus, o Pai das luzes (do discernimento, do esclarecimento, da sabedoria…) em quem não há variação ou sombra de mudança (Tg 1:17).Porque será que, quando algo gostoso nos acontece, isso tem de ter vindo de Deus e o que nos acontece de desagradável vem do inimigo? Será que Deus não é capaz de nos dar algo tremendamente BOM e maravilhoso através de uma situação desagradável? Lógico que sim.Um pneu furado pode nos reter e evitar de envolver-nos num acidente à frente, ou uma reprovação numa prova de acesso a uma carreira – o que não seria nada agradável – pode nos ajudar a começarmos uma carreira que nos vai completar mais do que qualquer outra.E por conseguinte, algo aparente bom, só porque nos agrada, pode no fim, nos fazer provar o fel da desgraça…Olhando do alto dos meus quase 50, aprendi com muitos tombos, que afinal, tudo o que Deus classificou como “pecado”, é tudo aquilo que, antes de mais nada, não vai ser BOM para nós.E então, o que nos resta, é só tomarmos muito caldo de galinha e nos enchermos de cautela, para discernirmos (pela Sua graça) entre coisa e outra.
(Escrito num dia em que estou a pedir ao Paizão, uma luz entre essas duas coisas…)

Nenhum comentário: